EDUARDO FELDBERG

          Um cara cristão...

Pessoas Ressuscitadas na Bíblia

Por Eduardo Feldberg - 04/01/2005

Na Bíblia, encontramos dez casos de ressurreição, sendo três no Antigo Testamento e sete no Novo Testamento, e deste total, nove ocorrências foram individuais e uma foi um caso de ressurreição coletiva. Neste breve artigo, vamos conhecer cada um destes casos. São eles:

 

 

1) 1 Reis 17.20-22 – O filho da viúva de Sarepta, por intermédio de uma oração de Elias;

2) 2 Reis 4.32-35 – O filho da sunamita, por intermédio de uma oração de Eliseu;

3) 2 Reis 13.20-21 – O defunto que caiu sobre os ossos de Eliseu;

4) Marcos 5.21-43 – A filha de Jairo, por intermédio de uma oração de Jesus;

5) Lucas 7.11-15 – O filho da viúva de Naim, por intermédio de uma oração de Jesus;

6) João 11.1-45 – A ressurreição de Lázaro, por intermédio de uma oração de Jesus;

7) Mateus 27.52 - Muitos santos que dormiam foram ressuscitados;

8) Atos 9.36-40 – A ressurreição de Tabita (ou Dorcas), por intermédio de uma oração de Pedro;

9) Atos 20.9-12 – O jovem Êutico, por intermédio de uma oração de Paulo;

10) Mateus 28 / Marcos 16 / Lucas 24 / João 20 – Ressurreição de Jesus.

 

 

 

OS CASOS DETALHADOS

 

 

O Filho da Viúva de Sarepta (1 Reis 17.20-22)

 

Depois de se esconder próximo a um ribeiro, por ordem do Senhor, e ser alimentado por corvos, Elias recebeu a palavra do Senhor, orientando-o a se dirigir à Sarepta, povoado de Sidom, e habitar ali, pois uma viúva o sustentaria. Ali ocorreu a famosa multiplicação do azeite e da farinha desta viúva. Depois de um tempo, o filho da mesma adoeceu e morreu, de forma que a viúva responsabilizou Elias pela morte do menino. Elias levou o menino ao quarto em que ele mesmo dormia e o deitou em sua cama, apenas eles dois. O profeta se deitou três vezes sobre o menino, colocando sua boca sobre a do falecido, seus olhos sobre os dele e suas mãos sobre as do menino e rogou ao Senhor, dizendo: “Ó Senhor, meu Deus, rogo-te que torne a alma deste menino a entrar nele”. Assim, a alma do menino tornou a entrar nele e reviveu. Depois disso, trouxe-o de volta à sua mãe.

 

 

O Filho da Sunamita (2 Reis 4.14-35)

 

Após Eliseu aumentar o azeite da viúva, foi convidado a morar na casa de um casal sunamita (do vilarejo de Suném). Como forma de agradecimento, Eliseu profetizou um filho para a sunamita e assim se sucedeu. O filho cresceu e, um dia, saiu para se encontrar com seu pai, que estava trabalhando com os segadores. Subitamente o menino começou a sentir dores na cabeça e seu pai mandou que um servo seu o levasse para casa, junto à sua mãe. Nestes dias, Eliseu já tinha ido morar em outro lugar. A mãe cuidou do menino, que estava com muita dor na cabeça, mas por volta do meio-dia, o menino veio a falecer. A mãe deixou o menino deitado na cama onde Eliseu dormira, e foi depressa à procura de Eliseu, o “homem de Deus”. Quando ele a avistou, mandou que seu moço, Geazi, fosse ver o que ela queria, mas ela não disse nada ao moço e correu até Eliseu, agarrando seus pés. Eliseu, sabendo o que havia acontecido, mandou que seu moço fosse com ela até o menino, mas ela disse que não o deixaria, então Eliseu a acompanhou até sua casa. Geazi foi à frente de ambos e tocou o rosto do menino com seu cajado. Vendo que nada acontecia, voltou e disse a Eliseu: “- O menino não despertou”. Eliseu chegou ao quarto do menino, fechou a porta, ficando apenas ele e o menino, e orou ao Senhor. Depois disso, foi até o menino e fez o mesmo processo que Elias: Deitou-se sobre o menino e se estendeu sobre ele. Logo que fez isso, a carne do menino se aqueceu. Eliseu esperou um pouco, andou pela casa e, voltando ao quarto, estendeu-se novamente sobre o menino; então, o menino espirrou sete vezes e abriu os olhos. Eliseu chamou a Geazi e mandou que ele chamasse a sunamita. Assim, ele entregou o menino, vivo, a sua mãe.

 

 

O Defunto que Caiu sobre os Ossos de Eliseu (2 Reis 13.20-21)

 

Após a morte e sepultamento de Eliseu, alguns homens da cidade estavam enterrando um defunto. Enquanto o faziam, uma tropa dos inimigos moabitas começou a invadir a cidade, e eles, atemorizados, lançaram o defunto na sepultura errada: A de Eliseu. O defunto caiu nela e, ao tocar os ossos de Eliseu, reviveu e se levantou sobre seus pés. Haja unção!

 

 

A Filha de Jairo (Marcos 5.21-43)

 

Estando Jesus em meio a uma grande multidão, chegou junto dele um homem chamado Jairo, um dos principais da sinagoga. Este, prostrando-se aos pés de Jesus, rogava-lhe que curasse sua filha moribunda (este não é o nome da moça, hein... rs.). Jesus o acompanhou, mas a multidão o apertava, dificultando sua passagem. Neste meio tempo, Jesus curou a mulher que tinha um fluxo de sangue. Depois dessa cura, Jairo continuou rogando a Jesus acerca de sua filha, quando outros principais da sinagoga o repreenderam, dizendo: “- Porque aborrece o Mestre? Sua filha já morreu!” Jesus, ouvindo essas palavras, disse a Jairo: “- Não temas, crê somente!”. Assim, Jesus o acompanhou até sua casa, não permitindo que ninguém mais o seguisse, senão Pedro, Tiago e João. Ao chegarem, viram o alvoroço ao redor da casa. Jesus perguntou aos que pranteavam: “- Por que vos alvoroçais e chorais? A menina não está morta, apenas dorme!”, e todos riam dele. Jesus os fez sair da casa, tomou consigo a Jairo, a mãe da menina e aos que o acompanhavam e entrou onde a menina estava deitada. Tomando a mão dela, disse: “- Talitá cumi”, expressão aramaica traduzida como “- Menina, te digo: Levanta-te!”, e logo a menina se levantou e andou, pois já tinha 12 anos. Jesus pediu para que não contassem a ninguém o ocorrido, e que dessem a ela algo de comer.

 

 

O Filho da Viúva de Naim (Lucas 7.11-15)

 

Após curar um dos servos do centurião de Cafarnaum, Jesus foi a uma cidade chamada Naim, acompanhado por uma grande multidão. Logo na entrada da cidade, ele presenciou um velório que estava acontecendo. Morrera o filho único de uma mulher viúva, e Jesus, enternecido, olhou para a viúva e disse: “- Não chores”. E, chegando-se ao caixão, disse: “- Jovem, eu te digo: Levanta-te!”, e o defunto assentou-se e começou a falar. Assim, todos, atemorizados, glorificavam a Deus.

 

 

A Ressurreição de Lázaro (João 11.1-45)

 

Eis que, enfermando Lázaro em sua cidade, Betânia, suas irmãs enviaram um aviso a Jesus (visto que estava numa cidade próxima), dizendo: “- Senhor, eis que está enfermo aquele a quem tu amas.”. Jesus, ouvindo isso, respondeu: “- Esta doença não é para morte, mas para a glória de Deus, para que o Filho de Deus seja glorificado por ela!”. Mesmo sabendo da enfermidade, Jesus ainda ficou dois dias no lugar em que estava. Ao fim desses dois dias, Jesus disse aos seus discípulos: “- Vamos à Judéia (cidade cujos habitantes queriam apedrejá-lo), pois Lázaro, nosso amigo, dorme, mas vou despertá-lo do sono”. Seus discípulos pensaram que Jesus tinha falado sobre um sono normal, de repouso, mas em seguida, Jesus lhes disse claramente: “- Lázaro está morto”. Jesus sabia de sua morte, ao que parece, sem que ninguém o houvesse avisado. Seus discípulos o acompanharam, e Tomé, aquele tão criticado, disse: “- Vamos também, para morrermos com ele”. Quando Jesus estava próximo a Betânia, Marta, irmã de Lázaro e Maria, correu ao seu encontro, dizendo: “- Senhor, se tu estivesses aqui, meu irmão não teria morrido”, ao passo que Jesus respondeu: “- Teu irmão há de ressuscitar. Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá”. Marta correu apressadamente de volta a sua aldeia e avisou sua irmã sobre a chegada de Jesus na aldeia vizinha. Maria se levantou logo e foi ao seu encontro. Alguns dos que estavam com ela em sua casa, vendo-a sair apressadamente, seguiram-na. Maria se lançou aos pés de Cristo e começou a chorar, junto com todos os judeus que seguiram. Jesus se enterneceu e chorou com eles. Ele foi com a multidão até o sepulcro, uma caverna com uma pedra sobre sua entrada e pediu que tirassem essa pedra. Marta o avisou que o defunto já cheirava mal, por ter morrido há dias, mas Jesus respondeu: “- Não te disse que, se creres, verás a glória de Deus?” Tiraram então a pedra e Jesus, olhando para o céu, disse: “- Pai, graças te dou por haveres me ouvido. Eu sei que sempre me ouves, mas disse isso por causa da multidão que me cerca, para que creiam que tu me enviaste”. Tendo dito isso, clamou com grande força: “- Lázaro, vem pra fora!”. E o defunto saiu, todo enfaixado. Disse Jesus: “- Desatai-o e deixai-o ir”. E assim, muitos creram nele. É interessante reparar que Jesus agradeceu pelo milagre antes mesmo de sua realização!

 

 

Muitos Santos que Dormiam Foram Ressuscitados (Mateus 27.52-53)

 

A Palavra nos diz que quando Jesus bradou na cruz, o véu do Templo se rasgou, houve um terremoto, e, neste momento, "... abriram-se os sepulcros, e muitos corpos de santos que dormiam foram ressuscitados." Juntando os dois versículos, Mateus nos dá a entender que os sepulcros foram abertos quando houve o terremoto, e que os corpos foram ressuscitados após a ressurreição de Jesus. Provavelmente estas pessoas eram pessoas piedosas e obedientes à Lei do Senhor, visto serem chamados de “santos”. Estes ressuscitados entraram na cidade e muitos puderam vê-los. Não sabemos quem são. Talvez pessoas que haviam morrido há pouco tempo, talvez algum deles fosse um patriarca. Não sabemos. Por unanimidade, os estudiosos creem que estas pessoas morreram novamente, pois ressuscitaram em seus corpos físicos, e não em espírito. Creio que este fenômeno se deu para que entendamos que, assim como Jesus, nós, os Seus santos, também ressuscitaremos após Ele.

 

 

A Ressurreição de Tabita ou Dorcas (Atos 9.36-40)

 

Havia em Jope uma discípula chamada Tabita, que traduzido, se diz Dorcas (gazela). Esta era muito caridosa e amável. Não é dito a idade dela, mas lemos que Tabita fazia túnicas e vestes junto com as viúvas da cidade. Um dia, Tabita ficou doente e veio a falecer. Os daquela cidade colocaram-na em um quarto alto. Alguns discípulos, sabendo que Pedro estava por perto, enviaram a ele dois homens, pedindo-lhe que viesse à cidade o mais rápido possível. Pedro voltou com eles, e ao chegar, foi ao quarto alto, sendo rodeado pelas viúvas que choravam, mostrando-lhe as túnicas que Tabita fizera com elas enquanto estava viva. Pedro pediu que todos saíssem do quarto e, ajoelhado, orou. Em seguida, andou até o corpo de Tabita e disse: “- Tabita, levanta-te!”. Ela abriu os olhos e, vendo a Pedro, se assentou. Assim, Pedro a levantou pela mão e a apresentou a todos os presentes, fazendo com que muitos passassem a crer no Senhor.

 

 

A Ressurreição do Jovem Êutico (Atos 20.9-12)

 

Depois de visitar diversos países e cidades, Paulo chegou a Trôade, cidade da Ásia, próxima a antiga cidade de Tróia. Ali, Paulo se ajuntou com seus discípulos para partir o pão. O apóstolo partiria no dia seguinte, mas mesmo assim, discursou com eles até meia-noite. Estava entre eles um jovem chamado Êutico, que, estando assentado numa janela, caiu do terceiro andar do edifício, tomado por um profundo sono que lhe sobreveio durante o extenso discurso de Paulo. Este jovem morreu nesta queda. Paulo desceu até o local, e inclinando-se sobre ele, o abraçou, dizendo: “- Não se perturbem, pois a alma dele ainda está aqui”. Subindo de volta, partiu o pão e, enquanto comia, discursava, estendendo a reunião até o amanhecer. Assim, levaram vivo o jovem e ficaram muito consolados com isso.

 

 

Ressurreição de Jesus Cristo

 

Mateus 28.1-10: Ressurreição de Jesus Cristo

Marcos 16.1-8: Ressurreição de Jesus Cristo

Lucas 24.1-12: Ressurreição de Jesus Cristo

João 20.1-10: Ressurreição de Jesus Cristo

 

 

 

“Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que esteja morto viverá!” João 11.25

 

 

 

 

 

Eduardo Feldberg

www.eduardofeldberg.com.br

 

"Que se apaixonem por Jesus ao estarem com você!"