EDUARDO FELDBERG

          Um cara cristão...

A Dança na Bíblia

Por Eduardo Feldberg - Junho/2004

 

(Observação: Quando escrevi este artigo, há alguns anos, não objetivava redigir um estudo complexo, que fundamentasse e analisasse minuciosamente o assunto - como faço em outros artigos, portanto, tenha em mente que neste rápido artigo, apenas compartilho opiniões e ideias, pautado na Palavra, sem uma análise mais aprofundada. Se possível, mais pra frente escreverei algo mais completo e analítico)

 

 

 

Dança: Série de movimentos corporais, com ritmo, normalmente acompanhado de música; cadência de passos ao som de música.

 

Adoração: Ato de adorar; ato realizado com amor excessivo; culto, honra, reverência ou homenagens prestadas a Deus.

 

 

Embora muitas pessoas não aceitem a dança como forma de adoração a Deus, dizendo que este é um ato carnal, podemos encontrar diversos trechos da Bíblia contradizendo essa ideia. Um dos mais claros se encontra em Eclesiastes 3.4, onde lemos que há tempo para tudo, inclusive para dançar! Além deste, há cerca de trinta outros versículos com citações da palavra “dança” e suas variações, embora nas versões originais das Escrituras, este número aumente para algo em torno de cem ocorrências! Vejamos alguns exemplos:

 

 

Êxodo 15.20; 32.19 / Juízes 11.34; 21.23 / 1 Samuel 18.6; 18.7; 30.16 / 2 Samuel 6.14; 6.16; 6.21 / Jó 21.11 /

Salmos 30.11; 118.27; 150.4 / Eclesiastes 3.4 / Cantares 6.13 / Jeremias 31.4; 31.13 / Lamentações 5.15 / Lucas 7.32; 15.25

 

 

Dentre essas citações, podemos extrair basicamente cinco formas de se expressar através da dança:

 

 

  • DANÇAS IDÓLATRAS

 

Esta dança é mais que uma simples forma de expressão, e chega a ser um culto a outros deuses. Parece ser o tipo de dança mais raro dentre as que comentaremos aqui, mas na verdade, é bastante praticado em cultos afros, terreiros e sessões religiosas.

 

Êxodo 32.19: Os israelitas não confiaram no Deus Vivo e, pagãos como eram, cultuavam deuses mortos com danças.

 

 

  • DANÇAS CARNAIS

 

A dança carnal é expressa quando uma pessoa quer se exaltar diante das pessoas, com intuitos que não agradam a Deus, ou com motivações erradas. Na maior parte das vezes, esse ato tenciona atrair a atenção de alguém. A dança sensual também se encaixa neste perfil, sendo considerada uma prática pagã.

 

1 Samuel 30.16: Após saquear os filisteus e israelitas, os amalequitas começaram a se embebedar e dançar.

 

 

  • DANÇA DE ALEGRIA

 

Este tipo de dança é realizado como forma de regozijo. É realizado, por exemplo, quando se está alegre com algo, para extravazar alegria ou comemorar algum acontecimento que não tenha necessariamente ligação com coisas essencialmente espirituais. Podemos citar como exemplos, a comemoração da conquista de um título da seleção brasileira de futebol, ou o retorno de algum parente que estava distante. Trata-se de uma manifestação de certa forma carnal, porém, de origem não pecaminosa. (Eclesiastes 3.4)

 

Juízes 11.34: A filha de um guerreiro dançou de alegria ao ver que seu pai retornara vivo após uma longa batalha.

 

 

  • DANÇA PARA APRESENTAÇÕES

 

Essa dança já é algo que envolve não apenas os sentimentos, mas principalmente a técnica e habilidade. É realizada principalmente em comemorações ou apresentações, e normalmente é praticada por pessoas que ensaiam e treinam coreografias. Em alguns casos, são feitas para engrandecer a Deus, em apresentações, mas podem também não ter nada a ver com ele, como no exemplo abaixo.

 

Marcos 6.22-25: Uma afilhada de Herodes se apresentou, dançando diante dele e de seus amigos de forma excitante. Esse ato teve como consequência a morte de um grande servo de Deus.

 

 

  • DANÇA DE ADORAÇÃO A DEUS

 

Esta é a melhor forma de se exprimir com danças. A dança de adoração ao Senhor, cujo objetivo é exaltar, glorificar, engrandecer e, por fim, adorar a Deus. Uma dança totalmente pura, que não busca os olhares humanos, mas sim o olhar, seguido da aprovação de Deus. A ênfase dessa dança é voltada para os sentimentos, tais como o amor, alegria, humildade, porém, não se deve deixar de lado a mesma beleza e habilidade requeridas anteriormente.

 

2 Samuel 6.14: Davi adorava ao Senhor com danças. Ele dançava com todas as suas forças (a forma com que devemos amar a Deus, conforme Deuteronômio 6.5), trajado com roupas “santas”.

 

 

A Bíblia nos mostra que a dança não é unicamente um ato de adoração a Deus, mas que pode se tornar um. É evidente que há exemplos ruins envolvendo dança, mas não se deve abolir esta prática só porque alguns erram com ela. Muitas vezes o homem não tem discernimento e sabedoria para usar as bênçãos que Deus dá e, com isso, o Diabo com sua ganância as transforma em maldição. Deus deu capacidade para as pessoas dançarem (para alguns, muita capacidade, para outros, como eu, uma capacidade praticamente nula!), e dançarem para Sua honra e glória, mas o Diabo enxertou no homem outras razões para praticá-la. Razões essas que influenciam as pessoas a deduzir e reconhecer que a dança não é um ato de adoração ao Senhor e assim, passam a reprimi-la. Satanás quer que as pessoas adorem a ele, e não a Deus, e para isso, colocou no mundo essa ideia:

 

“Não se pode adorar ao Senhor com danças!” (Mas a ele, sim!)

 

 

Isso contradiz a vontade do próprio Deus, que nos diz em Salmos 150.4 que devemos louvá-lO com danças. Algumas versões tiraram a palavra “dança” deste versículo, dizendo que a tradução estava equivocada, mas a verdade é que a palavra original empregada ali (machowl) tem mais de uma opção de tradução, podendo equivaler, sim, à dança.

 

 

A adoração também é vista como uma homenagem ao Senhor. Ele ama ver seus filhos O homenageando com aquilo que sabem fazer. Davi sabia cantar e tocar e exercia bem seu dom. Talvez ele não fosse dos melhores dançarinos, mas mesmo assim, se atreveu a dar alguns passos, em adoração ao Senhor! (2 Samuel 6.16-22)

 

Se você dança, dance!       Se você canta, cante!       Se você toca, toque!       Se você pula, pule!

 

 

Deus nos dá liberdade para expressarmos o nosso amor por Ele, mas devemos exercer bem nosso dom. Ele é Digno!
 

2 Coríntios 3.17 / 1 Samuel 16.18 / Salmos 33.3

 

 

Como vimos, há várias formas de se expressas através da dança, como por meio de uma:

 

  • Dança Carnal (como os amalequitas);

  • Dança Idólatra (como o povo incrédulo);

  • Dança de alegria (como os parentes do filho pródigo);

  • Dança de Apresentação (como a afilhada de Herodes);

  • Dança de Adoração a Ele (como Miriã).

 

 

O importante é se perguntar: “Qual o verdadeiro intuito do meu coração?” É interessante que muitas pessoas afirmam ter um ministério ou um chamado para a área da dança, mas só o exercem quando estão num púlpito, e sequer levantam de braços quando estão no banco, e isso me faz refletir sobre uma série de coisas...

 

Não dance ansiando unicamente deixar as pessoas animadas e contentes por ver uma dança apreciável, com uma coreografia tão graciosa, mas queiram que elas sejam tocadas pelo Espírito Santo e caiam prostradas ante o Senhor, com o coração quebrantado, afinal, a Unção do Senhor quebra todo jugo! Deixe Deus te usar, mas faça tudo para a glória d’Ele. É mediante essa motivação que Deus nos usa, afinal, Ele não divide Sua glória com ninguém!

 

 

“De profissionais qualificados o mundo está cheio e... creio que Deus também está!”

 

 

Espero que vocês, adoradores do Senhor com danças, ambicionem sempre glorificar a Deus, e acabar com o preconceito das pessoas em relação à dança, e logrem esse propósito a cada passo que derem, atraindo a presença de Deus ao dançarem, rompendo assim esse tradicionalismo que sobressai em muitas igrejas e em muitas pessoas. Mas lembre-se que tudo deve ser feito com pureza e inteligência. Há muito preconceito com a dança dentro das igrejas por conta de associações com apresentações mundanas, como o carnaval, mas também há muito preconceito por culpa de evangélicos que não sabem distinguir uma coisa da outra, e não têm sabedoria para fazer algo com ordem e decência, sem sensualidade, de forma que outros, com razão, preferiram evitar essa prática dentro da Casa do Senhor. Não é raro ouvirmos histórias, ou até mesmo vermos pessoas dançando dentro da igreja com passos, gestos e roupas totalmente carnais, e isso só atrapalha e cria conceitos e opiniões contrários a esta prática. Seja sábio e inteligente. Você tem a mente de Cristo! Há tempo para tudo, há lugar e ocasião para tudo, e sempre há uma forma correta de se fazer as coisas, então peça discernimento e sabedoria do alto, pois isso, o Senhor concede liberalmente a todos que pedem.

 

Que sejamos adoradores extravagantes, não religiosos críticos, e saibamos respeitar as habilidades dadas por Deus a cada pessoa.

 

Que sejamos como Davi, e não como Mical! (2 Samuel 6.16-22)

Que sejamos como a mulher pecadora, e não como Simão! (Lucas 7.36-50)     
Que sejamos como Maria, e não como Judas! (João 12.1-11)

 

 

 

Salmos 17.5: “Dediquem os seus passos ao Senhor para que seus pés não vacilem.”

Salmos 37.23-24: “Os seus passos são guiados pelo Senhor, que se compraz neles. Ainda que vocês caiam, não ficaram prostradas, pois o Senhor as susterá com Suas mãos.”

 

 

Dance com exclusividade para o Senhor, não para entreter o homem! Que Deus nos abençoe e capacite!

 

 

 

Eduardo Feldberg

www.eduardofeldberg.com.br

"Que se apaixonem por Jesus ao estarem com você!"